Sobre Prof. Elisson de Andrade

Professor universitário e palestrante sobre Educação Financeira. Engenheiro Agrônomo (USP), Bacharel em Direito (UNIMEP), Mestre e Doutor em Economia Aplicada pela USP. Ganhador do prêmio BM&FBOVESPA de melhor dissertação/tese sobre derivativos (2004). Um eterno apaixonado em aprender e ensinar.

  • Ótimo post! A maioria das pessoas não tem disciplina e paciência de esperar décadas. Infelizmente.

    • Olá “Investidor Defensivo”, muito obrigado pela visita e comentário. Abraço e aguardo os próximos.

  • ITM

    Penso da mesma forma !
    Parabéns pelo post

    Abçõs

    ITM

  • Pergunta:
    Uma pessoa que realiza o planejamento financeiro irá conquistar mais objetivos que outra mergulhada em financiamentos. Isso porque ao planejar, se permite receber juros sobre seus investimentos, ao invés de pagá-los.
    Comentários:
    A afirmação acima é precisa do ponto de vista dos juros sobre capital próprio. Uma vez que, no dispêndio, abiscoita mais aquele que empresta do que quem toma emprestado. O consumo não gera riqueza para o consumidor, aumenta-lhe a barriga e o deslumbramento. Entretanto é bom refletir se não esta a se nutrir esperança, onde só cabe a razão.
    Explicando melhor:
    Planejamento como religião sempre instituirá limites ao livre pensamento. Quem se restringe ao orçamento auto imposto é como alguém que tem fé cega e não dá curso a sua razão, deixa-se levar pelo conforto da alienação voluntária. Mas, sem dúvida, glosar metas de consumo em parcelas mensais, como um carnê a ser quitado, estabelece a motivação momentânea. O problema é não doutrinar, simultaneamente, como aumentar receitas. Muitos creem que poupar é a regra para acastelar riqueza, a meu ver, antes do poupar deve-se aprender como ganhar. Considero ganhar a causa do crescimento.
    Saudações
    Joao Carlos marcuschi
    http://www.avozinvisivel.com.br

  • Cleiton Oliveira

    Infelizmente as grandes maiorias das pessoas pensam desta forma. Felizmente, com muito trabalho e dedicação, conquistei minha independência financeira, mas já fui muitas vezes questionado por que não possuo casa de praia, sítio, carros, entre outros. E tenho certeza que você se sentiu mais motivado para conquistar e incentivar a busca pela independência financeira.

  • Mônica Bezerra

    Adorei o artigo. Isso tem muito a ver sobre o conceito de riqueza que é equivocado. As pessoas pensam que riqueza é ter bens para ostentar. E não é isso. Outra coisa muito interessante é que o caminho pra se conseguir a independência financeira é longo. Não existe milagre. Parabéns, muito bom seu material!