Sobre Prof. Elisson de Andrade

Professor universitário e palestrante sobre Educação Financeira. Engenheiro Agrônomo (USP), Bacharel em Direito (UNIMEP), Mestre e Doutor em Economia Aplicada pela USP. Ganhador do prêmio BM&FBOVESPA de melhor dissertação/tese sobre derivativos (2004). Um eterno apaixonado em aprender e ensinar.

  • Excelente artigo professor! Muito importante colocar tudo no papel (excel) e ver o real preço das coisas!

    Abraços

  • Regivan Andrade

    Sabendo disso o que eu posso fazer pra exigir o que é correto ? Quais os procedimentos a seguir ?

    Obrigado pela atenção Professor.

    • Olá Regivan. A questão aqui não é exigir o correto, mas saber quais são as reais condições do negócio a ser feito, e escolher a melhor alternativa. Analisar relações de consumo é algo com muitos detalhes, que vão desde as compras por impulso, compras sem necessidade, até negociar boas condições de financiamentos. O intuito aqui foi mostrar que os mais bem informados preparam “armadilhas” para fisgar os menos informados (estes, acreditando que fizeram um ótimo negócio, mas o que aconteceu foi apenas uma “brincadeira” com números, que o levaram a pensar assim).
      Portanto minha dica é: investir em educação financeira para saber identificar essas armadilhas de consumo e sempre comprar bens e serviços que estejam dentro de seu orçamento (de forma planejada e com sobras para investir no futuro). Obrigado pelo comentário.

  • Frederico Maciel de Mello

    Fantástico! Estou sem palavras para descrever a qualidade do artigo.

  • eraldo giacon

    Acho que precisamos conversar pois ha dois anos as coisas não estão indo bem, gostaria de marcar um horário aguardo retorno fessor…

    • Eraldo. Envie-me um email pelo formulário de contato do blog e iniciamos as conversações. Abç

  • Pingback: ()

  • Áfia

    E quando o preço que está marcado não tem desconto se pago à vista? Por exemplo, está marcado R$ 2000,00 e se pagar à vista, não ter abatimento. Qual é a sacada?

    • Muitas vezes isso é uma estratégia para forçar o financiamento…

      • Áfia

        O que eu não entendo é isso: se for como eu exemplifiquei e dividir em 4x, por exemplo, de R$ 500,00 (contando que seja “sem juros”), eu não vou pagar menos do que à vista (lembrando que à vista é sem desconto), devido à inflação? Não faz sentido, mas tá faltando algum detalhe, o que me leva a chegar a essa conclusão.

        • Perfeito Áfia, o que pode acontecer é o seguinte. O preço à vista do produto ser, na verdade, muito menor que 2 mil. Mas eles colocam a soma das parcelas como o preço a vista, para você pagar parcelado, Podem existir outras motivações por detrás dessa estratégia, e vai depender de cada caso. Abç.

  • Maycow Moura

    Professor, no exemplo do texto, msm se o cliente parcelar em menos de 6x vai pagar os juros das 6 parcelas? Por exemplo, se a Casas Bahia parcela em 24x sem juros, esses 24 juros de parcelas estão embutidos no produto, então msm se o cliente parcelar em 3 vezes ele vai pagar os juros das 24?

    • Olá @maycowmoura:disqus. Sempre que for parcelado e tiver desconto a vista, pagará juros… Abraços.