Sobre Prof. Elisson de Andrade

Professor universitário e palestrante sobre Educação Financeira. Engenheiro Agrônomo (USP), Bacharel em Direito (UNIMEP), Mestre e Doutor em Economia Aplicada pela USP. Ganhador do prêmio BM&FBOVESPA de melhor dissertação/tese sobre derivativos (2004). Um eterno apaixonado em aprender e ensinar.

  • É meu amigo, acabou o tempo que se ganhava dinheiro fácil com a Renda Fixa brasileira.
    Hoje ela apenas irá garantir o poder de compra. Quem quiser rentabilidade real terá que se expor a produtos mais sofisticados, deixar a comodidade de lado e buscar conhecimento.

    Abraço.

    • É isso aí amigo Jônatas. Pelo menos no curto prazo essa é a saída: buscar “novas” alternativas. Abração e obrigado por sempre deixar seu comentário por aqui.

  • Bela analogia professor! Bem simples e didática. Sempre procuro mostrar às pessoas o poder de destruição silencioso que a inflação tem. Ter inflação não é ruim; ter inflação descontrolada com certeza. Mas aprender a procurar, entender os diversos produtos financeiros disponíveis no mercado, a calcular a taxa líquida de IR e inflação para poder avaliar qual a rentabilidade real de seus investimentos, é tarefa de cada um. É simples, como bem sabemos. Basta ter disposição e cabeça aberta para entender de finanças.

    Abraço.

    • Olá Phillip. Perfeita sua colocação. E também é interessante e não quis abordar no artigo, que cada um tem sua cesta de consumo, logo, sua inflação individual. Isso deve ser levado em consideração, quando estamos tratando de poder aquisitivo dos indivíduos. Abração e volte sempre.

  • Ítalo Nogueira

    Bastante interessante sua analogia professor.

    Há um bom tempo entendedores de finanças já “previam” que com a economia estável, a taxa de juros chegaria a um ponto que faria o Joãozinho chorar. Vale lembrar que em países como EUA e Japão o Joãozinho investe o dinheiro e na hora de comprar o pirulito leva menos de 25 guloseimas.

    A solução é expor uma parte do capital ao um nível moderado de risco para atingir melhores rentabilidades. Existem no mercado uma série de alternativas que oferecem 10~12% de rentabilidade com bastante consistência, como Fundos de Investimentos em Imóveis(os FII tão discutidos ultimamente) e Fundos Multimercados de Ações.

    Mas, cá entre nós, e o senhor sabe melhor do que eu, já é uma odisséia explicar para um pessoa as vantagens de se poupar dinheiro, ao menos na poupança, o que dirá leva-la a entender sobre alguma forma mais arrojada de investimento. Infelizmente, uma minoria como nós interpretará essa notícia, o restante só verá seu dinheiro evaporar no decorrer do tempo, temendo e amaldiçoando a renda variável.

    Abraços e sinceros votos de sucesso.

    • Poxa Ítalo, esse é outro artigo!!!! Profundo e crítico sob diversos aspectos. Obrigado por enriquecer esse debate com sua sabedoria. Abração.

  • eliane

    Elisson,

    Faça um texto sobre os arrependidos de terem feito a previdência privada. Minha situação é se ficar o bicho pega se ficar o bicho come!!! Qual a sugestão seria melhor perder parte $ investido, parar de contribuir ou continuar. bye

    • Olá Eliane. Deixe o dinheiro já investido quietinho, até que se possa sacá-lo com o mínimo de tributação possível. E a partir de agora, busque montar sua própria carteira de investimentos, que irá lhe sustentar na terceira idade, comprando ativos com rentabilidades mais interessantes. Abç.

  • Rafael Lopes

    Olá professor,

    estou iniciando agora meus estudos sobre mercado financeiro e queria parabenizá-lo pelos ótimos e esclarecedores artigos que estão tirando muitas dúvidas e me fornecendo um novo e empolgante aprendizado.

    • Olá Rafael. Que bom ler essas palavras. É exatamente isso o intuito do blog. Abração e espero novos comentários.

  • Bom dia Doutor Elisson.

    Nao sou investidor – ainda – mas preocupo-me com os dias de nossa vetustice. Ja ate andei namorando a aquisicao do A. Damodaran, porem busco melhor compreender esse multifacetado mundo das aplicacoes do MF para so entao iniciarmos nossa carteira. Enfim, seria possivl eu ler a vossa prestigiada tese/dissertacao (2004) sobre derivativos, se estiver em PDF seria otimo pra nos (ou ond posso acessa-lo, se ja estiver disponivl). Tentei achar uma monografia do Sergio Wulff (IPEA) sobre politica fiscal e sustentabilidade do crescimento – 2010, mas nao consegui. Creio q lendo-as me ajudara a compreender com mais clareza um Damodaran e tantos outros q se FAZ necessario. Sera q essas leituras me propicirao conhecimento para amanha entender os CRis; LCis e o discutido Covered Bond?!

    Um sincero voto d estima e consideracao Dr. Elisson.
    PS: Acuse o recebimento dc email.

  • Jemerson Soares Oliveira

    Muito bom o artigo!
    Analisei o dia 29/08/12 com os títulos públicos ofertados e vi que LTN 010116 estava a uma taxa de 8,95% , que nesse momento era uma boa pedida, hoje (08/2015) vi que ele ganhou da poupança, mas perdeu para outras modalidades do próprio Tesouro Direto, como no caso dos títulos atrelados ao IPCA.
    A minha dúvida é a seguinte: Numa situação dessas, vale a pena se desfazer desse título e partir para um outro como a Tesouro IPCA+ 2019 (NTNB Principal)?
    O que eu deveria levar em consideração para sair de um título pré-fixado para um indexado ao IPCA?

    • Olá Jemerson Soares Oliveira. Impossível responder em poucas linhas essa sua dúvida. Primeiro porque as teorias acerca das curvas de juros são complexas. Segundo porque, mesmo que as estude, SEMPRE vai ter incertezas se a decisão vai ser boa ou não. Clique no link abaixo e veja que esse curso trata EXATAMENTE sobre essa sua dúvida:

      http://goo.gl/CDA5BD