Sobre Prof. Elisson de Andrade

Professor universitário e palestrante sobre Educação Financeira. Engenheiro Agrônomo (USP), Bacharel em Direito (UNIMEP), Mestre e Doutor em Economia Aplicada pela USP. Ganhador do prêmio BM&FBOVESPA de melhor dissertação/tese sobre derivativos (2004). Um eterno apaixonado em aprender e ensinar.

  • Marlene Bieger

    Professor Elisson Parabéns gostei de seu texto ética e moral
    abraços

  • Messias Brito de Jesus

    Há uma situação de antagonismo inconciliável entre os interesses do banco, representados pelo gerente, e os interesses da cliente. O cliente utiliza os serviços do banco buscando, se superavitário, a maior remuneração para o seu dinheiro. Caso seja deficitário, buscará empréstimos ao menor custo possível. O banco, por sua vez, busca acima de tudo maximizar seus lucros, o que somente acontece com a exploração da fragilidade e incompetência financeira do cliente! O banco remunera com o mínimo as reservas dos clientes e cobra o máximo para emprestar este mesmo dinheiro. Aliás, na verdade empresta dinheiro q nem possui. Vende confiança através de números de computador, pois se todos os clientes resolvessem sacar seus valores nos bancos seria um caos completo! No caso, não há saída! A natureza do capitalismo é o lucro ilimitado. Nenhum banco jamais se contentaria com um lucro q permitisse vantagens ao cliente, a não ser q o cliente tenha poder para forçá-lo a fazer isso.

    • Olá Messias, bela reflexão. Muito obrigado pelo comentário. Aguardo os próximos. Abraço.