Sobre Prof. Elisson de Andrade

Professor universitário e palestrante sobre Educação Financeira. Engenheiro Agrônomo (USP), Bacharel em Direito (UNIMEP), Mestre e Doutor em Economia Aplicada pela USP. Ganhador do prêmio BM&FBOVESPA de melhor dissertação/tese sobre derivativos (2004). Um eterno apaixonado em aprender e ensinar.

  • malanar11

    Muito bom, bem detalhado. O problema de aplicações pensando em longo prazo (20, 30 anos) são os IRs pagos nos vencimentos que irão ocorrer no caminho, caso a pessoa faça aplicações e reaplicações de 5 em 5 anos por exemplo. Além do tesouro direto não conheço outra aplicação decente que permita um prazo tão longo de forma continua.
    Boa observação em relação aos aportes corrigidos. Já vi um estudo que mostra a influência dos aportes durante a aplicação e é interessante como essa influência cai muito com o passar do tempo.

    • Olá @malanar11:disqus. Há tempos estou ensaiando para fazer um artigo sobre os IRs pagos no decorrer do caminho e adiando. Acho que CHEGOU A HORA. Vou colocar na agenda para ser o próximo. Obrigado pela sugestão.

  • Helio Santos

    Parabéns, Prof. Excelente explicação e esclarecimentos. Considero fundamental o poupador/investidor conhecer os efeitos da inflação. Muito obrigado por compartilhar.